NOVO BLOG.

FALA GALERINHA, BLZZ?

DESCULPEM ESSE LONGO PRAZO SEM ATUALIZAR O BLOG…

EU ESTAVA HIPEROCUPADO CONSTRUINDO OUTRO DIVELOG, MAIS DINAMICO, MELHOR ORGANIZADO, MAIS CLEAN E ETC…

A PARTIR DE AGORA PARA VCS CONTINUAREM LENDO O BLOG VISITEM O ENDEREÇO:

WWW.REDBLACKDIVERS.COM

OU

http://divelogredblack.blogspot.com

OK?
GRANDE ABRAÇO A TODOS, MAIS UMA VEZ DESCULPAS E OBRIGADO PELA ATENÇÃO.

Softwares de Mergulho

Fala galerinha, blzzz ?
Estou de volta nas paradas do sucesso.

Andei meio sumido do blog mas não foi por querer, desculpe. Acontece que a correria andava grande aqui no trampo mas agora as coisas estão melhorando e com o fim de semana chegando, melhor ainda auuaha.Bom, hoje vou dar uma dica rápida para você que detesta ficar fazendo cálculos de quanto ar gastou, contas para o cilindro de nitrox, contas para isso, contas para aquilo e etc.

 

 

Hoje vou passar para você alguns links com softwares de mergulho que podem ajudar vocês no planejamento, tornando mais prático e rápido. 

 

http://www.jasonstreet.net/diving5.html

Neste site vocês irão encontrar tabelas de nitrox e tabelas normais da PADI para programação de mergulho. Muito fácil de usar, esta em Excel e se você tem um notebook e leva para o barco, fica mais fácil ainda de usar. 

 

http://www.divecontrol.com.br/PTB/index.php

Este site produz um software que pode ser usada como shareware mas claro, por um tempo.É um software excelente de planejamento que produz gráficos sobre as características do seu mergulho baseado nos dados do seu computador. Ele faz também toda a programação do mergulho com os dados que você informar. Apesar de ser um software pago, não é caro e da até para pensar na possibilidade de comprar. Claro que é muito útil para quem é profissional.

SharkpointOutro software muito bacana, se não me engano é gratuito.
Muito legal com vários recursos para o seu mergulho.
Vale apena dar uma lida no site e testar.Bom galera, por enquanto é só, façam bons proveitos e testem os links.

 

 

Caso vocês tenham outros programas que funcionem bem também, mande para eu colocar no site. Meu email esta logo ali em cima nos contatos ou comente no blog.

É claro que não é preciso falar que o melhor mesmo é você saber se virar com todos esses cálculos  e tabelas e que esses programas vão servir e muito para facilitar e poupar tempo, porém, em caso de dúvida, o melhor a fases é tirar a prova real fazendo os cálculos.

Um grande abraço para todos e logo mais estarei de volta, até+

 

 

 

BIG EYES – MÁSCARA CRESSI

Quando comecei a comprar meus equipamentos para o curso básico eu ainda estava em Nova iorque, aproveitando por estar nos EUA, decidi comprar o melhor que podia juntamente com a minha esposa.

Pesquisamos e achamos materiais da Cressi com preços legais e com certeza uma marca de muito boa reputação e qualidade.

Hoje, meses depois, não tenho o que falar, todo material que comprei é excelente, porém, o curso de rescue é aonde testamos demais o equipamento pois é uma rotina muito intensa de retirar e colocar de forma rápida e foi exatamente neste curso, na semana passada que um clipe da minha máscara se soltou. O clipe esta marcado em vermelho na foto abaixo:

Esse clipe faz parte de um conjunto que prende a correia da máscara, fiquei preocupado pois não se trata de uma peça que você acha em qualquer lugar, falei com meu instrutor e ele disse para tentar comprar um kit da cressi que vem esse conjunto de peças, mas isso deve custar uma grana pois é importado, não tem no Brasil. Eu conseguia encaixar o clipe, porém sem a cabeça do pino, não havia pressão para mantê-lo no lugar, eu corria o risco de perder minha máscara em algum momento.

Passado o sufoco, assim que cheguei em casa, comecei a analisar a máscara e percebi que o encaixe é feito por alguns dentes (foto abaixo)

e o pino que eu perdi servia para fazer a pressão de dentro para fora nesses dentes e mantê-los fixo no lugar. Para substituir isso fiz uma coisa simples, o pino é vazado no meio, então neste espaço eu enchi de massa durepox, a massa ficou rígida em umas três horas e pronto, os dentes não conseguiam voltar para a posição inicial e então tive minha máscara de volta.
Fiz tudo isso com cuidado para não tirar os movimentos do pino e nem grudá-lo de forma errada, comigo deu muito certo e minha máscara esta zerada novamente. Outro ponto importante é que minha máscara não foi prejudicada em um ponto que suporta a pressão da água, se o caso fosse esse, nunca teria feito nada para consertá-la, pois obviamente não teria jeito.

 
O resultado esta na foto ao lado.

 

É isso, sempre que algo acontecer, análise para ver se tem correção, antes de sair gastando uma boa grana.

Valeu o curso de equipamentos.
Grande abraço para todos…até mais+

Cuidados com equipamentos.

Fala galerinha, blzz?
Certa vez, circulando pela internet, vi um post em outro blog de um cara falando sobre uma das vantagens de ter malas para guardar seus equipamentos de mergulho.
O que ele falou é o seguinte:
A grande vantagem de ter uma mala para guardar seus equipamentos de mergulho é além do fato de ter tudo guardado sempre, organizado e não precisar ficar refazendo mala toda vez que for viajar é o fato de manter o seu equipamento úmido. Isso mesmo, isso é vantagem pelo seguinte.
Se você é um daqueles que tem uma certa preguiça de lavar todos os equipamentos depois de chegar de uma viagem, é melhor conservá-los dentro da mala, porque a mala os mantém úmido por um certo tempo, até você ou tomar vergonha ou levar para uma operadora de mergulho que lave todo seu equipamento, troque o-rings, lubrifique o que é necessário e etc. (Hoje quase todas fazem isso por volta dos R$15 à R$ 20). Eu pessoalmente vi isso com um amigo que tem a mala gorila (seca) da cressi, ele foi mergulhar e deixou o seu equipamento dentro dessa mala por umas duas semanas até lavar, a única coisa que ele fez foi encher a mala de água. Lembrando que essa mala é seca, ou seja, é totalmente vedado para não entrar ou sair água, como você desejar.

 

Manter o equipamento úmido evita que o sal se cristalize o que realmente acaba por causar dano no equipamento, caso você não tenha tempo ou “pique” para limpar seu equipamento assim que chegar em casa, a melhor solução é deixá-lo úmido dentro da sua mala e lavar o quanto antes puder.

Espero que os que estão pensando em comprar uma mala, agora entendam uma de suas utilidades.

Grande abraaaço e até+

 


Canal DAN

 

Fala galerinha, blzz ?
Desculpem a falta de posts últimamente, mas prometo que vou postar tudo que tenho para postar neste final de semana. Além da correria, estou conversando com a galera da DAN e criando um canal direto através deste blog e da DAN para que eles respondam as várias questões que tenho recebido sobre medicina e fisiologia do mergulho.
Por tanto, acredito que ainda neste final de semana tudo esteja funcionando e venho oficializar a noticia por aqui.

Um grande abraço a todos e ate+

Treinamento Rescue Diver

Cursos realizados até o momento:
Básico
Avançado
EFR
Rescue Diver
Nitrox
Naufrágio
Equipamentos
Provedor O2

 

 

Com certeza o melhor check-out e treinamento já feito até o momento.
Assim como todos dizem, rescue é com certeza um dos melhores cursos do plano de carreira.

 

A 8 da matina estávamos todos reunidos na Narwhal de Ilha bela.
Depois de cumprimentar e rever alguns amigos, começamos a levar nossas coisas para os barcos.
Até então eu estava meio ansioso, havia passado uma semana complicada por conta de uma gripe que peguei na segunda-feira. Durante a semana me cuidei bastante, indo inclusive quase todos os dias para a academia. Para quem não sabe exercícios físicos ajudam a na produção de anti-corpos para o organismo além de deixar você mais disposto para combater o problema, é melhor do que ficar de cabeça baixa deitado na cama. Claro que a idéia não é fazer alguém que esta morrendo ir para academia, mas se você agüentar, porque não?
Na sexta-feira eu estava melhor, porém ainda com sujeira no pulmões o que me preocupava, não queria que isso fosse para as fossas nasais. Bem, no sábado por sorte esquentou e muito em Ilha bela, um belo dia de sol, água fria, porém nada que a roupa e a quantidade de exercícios não desse conta.
No sábado recebemos muitas instruções no barco, realizamos alguns exercícios de prontidão, aprendemos como estar sempre de prontidão no barco, fizemos exercícios de resgate e depois de resgate fazendo respiração artificial com a pocket mask. Mas o melhor ainda estava por vir.

 

A primeira coisa a ser feita depois que você faz o curso de rescue é ficar sempre de prontidão para qualquer emergência. No domingo de manhã fizemos isso, assim que todos entraram no barco começamos a nos vestir com a roupa e deixar o equipo básico (nadadeira, snorkel e máscara) sempre próximos de um ponto de saída do barco.
Assim que o barco partiu, algo de dez minutos depois, todos os divemaster caíram na água  e foi dada a voz: “HOMEM AO MAR, HOMEM AO MAR!!” daí pra frente foram dez segundos para pegar um colete salva vidas, equipar com o básico e cair na água para buscar os divemaster. O domingo começou quente.

Daí para frente treinamos como um time de verdade, uma pessoa era líder e recebia um chamado de desespero de outra pessoa que havia perdido o seu dupla. O líder tentava obter informações sobre o local mais próximo aonde foi percebido o desaparecimentos e então escalava uma equipe para ficar no barco, chamar por socorro no rádio e erguer a vitima pela corda quando fosse encontrada, outras pessoas que seriam o cabide para segurar os equipamentos e mais uma pessoa para descer com ela e fazer a busca e recuperação da vitima.

Foi sensacional, muito cansativo mas sensacional em todos os sentidos e para todos.
A adrenalina toma conta, você tem que entrar no espírito do treinamento e ai a coisa vira realmente, tempo contando para trazer a vitima ao barco, equipar-se o mais rápido possível, segundos fazem a diferença. Excelente. Claro que não entrei em detalhes para não estragar a surpresa de quem ainda vai fazer, mas se querem uma dica: FIQUEM SEMPRE DE PRONTIDÃO !!

 

– Não usem equipamentos como relógios, bússolas, computadores ou qualquer outro acessório que se utiliza num mergulho normal, pois você não acredita a quantidade de equipamentos que se perde nesse treinamento, foi muita coisa que caiu na água e tivemos que parar para brincar de busca e recuperação, tudo foi recuperado.

– Não esqueça sua pocket mask.

-Vale a pena ter o curso de O2 provider

– Prepare-se fisicamente se você puder, não precisar entrar na musculação, claro que se puder melhor, mas se não, correr meia hora por dia na rua da sua casa não é má idéia.

-Entre no clima do treinamento, correria total.

-Apoveite.

-Tenha nadadeira com a parte de trás aberta e se possível, sem tiras. Substitua por molas porque é muito mais fácil e rápido de vestilas.

Galera, abaixo segue um link com fotos do sábado e do domingo.

 http://www.flickr.com/photos/27474539@N08/sets/72157605915085088/

 

Grande abraço a todos e até mais.

 

 

 

 

 

 

 

 

Deficientes Mergulhadores.

Fala galera, blzz ?
Desculpem mas esta semana o blog esta meio parado.
Estou na correria aqui no trabalho, me curando de uma pequena gripe e indo mergulhar amanhã em Ilha bela valendo minha certificação de Rescue Diver. Logo mais posto fotos e notícias sobre este mergulho…

Mas vamos ao que interessa, hoje vou postar uma matéria interessante que achei na internet sobre mergulhadores deficientes físicos. São projetos que focam ex soldados feridos de várias guerras e através do mergulho diversas ongs estão reabilitando e trazendo a alto estima destes homens de volta….Vale Apena conferir.

SOLDADOS SUBMERSOS

Aspen geralmente nos remete a neve e esqui, nada sobre mergulho certo? Errado! Lá acontece um dos trabalhos mais nobres que já pude ouvir falar, algo que interessa demais em especial a minha esposa, o trabalho voluntário com deficientes físicos.
Durante o inverno a o mergulhador capacitado

 

William White juntamente com uma equipe da National Disabled Veterans Winter Sports Clinic, retired U.S. Marine e a  Handicapped Scuba Association (HSA)

Cuida em sua piscina de dezenas de veteranos que foram vitimas de suas guerras. Amputados, veteranos das Guerras do Golfo partilham com White a maravilha de um mergulho e juntam-se a eles outros veteranos do Afeganistão, Vietnã, Coréia e até mesmo da 2º Guerra Mundial.A clínica, uma das diversas ao redor do país, se destina a cuidar de soldados feridos e veteranos de guerra com uma variedade de esportes. A idéia é tornar a reabilitação mais fácil através de atividades recreativas e o ambiente de mergulho é único em sua experiência libertadora, diz White. Para muitos, o sentimento de liberdade que o mergulho prevê é um passo importante na luta contra a dor e a frustração da perda de membros, lesão medular, lesões cerebrais e outras deficiências.

White recorda um colega veterano, amputado em três lugares, que entrou na água cético sobre o mergulho, mas depois de uma manhã de viagens pelo fundo do mar, surgiu sorridente e confiante. “Essas pessoas têm um momento difícil em terra”, diz White. “Você apenas os recebe bem na água e eles vão longe.”

Além destas clínicas vários grupos de mergulho sem fins lucrativos oferecem aos Americanos feridos e veteranos a oportunidade de experimentar o mergulho. Mas a complexidade médica e a privacidade de movimentos que estão em jogo fazem com que estas organizações necessitem cada vez mais de ajuda e espalhar pelo mundo suas atividades. Com isso em mente, estamos desenvolvendo três programas que estão ajudando soldados a descobrirem o mergulho ao longo da vida. “Leia as notícias em nosso site e você ficará inspirado e assim se você souber de algum soldado que possa ser beneficiado, entre em contato conosco e iniciamos o processo” Diz White.

Diveheart Military Wounded

 

Susan Walker, uma mergulhadora de Chicago cujo o filho é um mergulhador da marinha americana, fez parte de uma equipe que estava na guerra no Iraque. Nesses tempos ela acabou encontrando o fundador da Diveheart, Jim Elliott que estava com um grupo de mergulhadores com deficiência em uma pedreira local. Leu sobre Elliott’s e aprendeu que aquele rapaz estava formando um grupo que ajudava pessoas com ferimentos de guerra, Walker decidiu imediatamente que iria ajudar Elliot e então a  Diveheart Military Wounded nasceu.”Eu queria fazer mais, e eles não vão deixar-me ir de novo a guerra e lutar”, disse Walker. Ao invés disso, ela está colocando soldados feridos na piscina. Concatenando grupos de terapeutas e veteranos para espalhar os ideais da Diveheart, Walker em pouco tempo dava a seus primeiros cinco veteranos de Hines VA Hospital a fantástica experiência do mergulho. Enquanto Walker trabalha com soldados feridos perto de Chicago, suas bases de 15 voluntários estão incentivando a lojas de mergulho em todo o país a terem instrutores-HSA certificados e ajudare nos projetos com os veteranos, dar-lhes uma experiência do mergulho e para os que desejam, ajudar a obter certificações de mergulho.

A DiveHeart tem seguido este modelo desde que foi fundada em 2001. Inspirado por seu pai (um veterano deficiente da Segunda Guerra Mundial) e sua filha (que nasceu cega), Elliott viu a necessidade de uma boa relação custo-consultor das lojas de mergulho livre em todo o país, incentivou amigos a se tornarem instrutores mergulhadores-HSA, e assim promovendo oportunidades de mergulho para pessoas com deficiência. “Nós apenas queremos que deficientes possam mergulhar também”, diz Elliott. Trabalhar com soldados feridos é uma extensão natural do seu trabalho, e veteranos de guerra são muitas vezes os primeiros a abraçar o mergulho. “Eles são soldados. Não se assustam com qualquer coisa, tem boa coordenação, tem tudo para serem bons mergulhadores.

Guerreiros Submersos

Robert Shrode era um garoto de 27 anos de idade de  Mississippi. O 9 de Setembro mudou tudo para ele. Ele entrou para o Exército que foi enviado ao Iraque. Ele passou por Najaf, Karballa, Mosul, Falluja e Bagdá antes de seu Hummervee ser atacado em uma emboscada e ele perder o seu braço direito. Depois de um ano na reabilitação e de volta para Fort Campbell, Ky., Shrode obteve uma chamada falando sobre a oportunidade de experimentar o mergulho com o grupo Guerreiros Submersos. Hoje ele é Advanced scuba water dive e esta completando o seu curso de rescue diver.Os guerreiros submersos cresceram a partir dos esforços de Nancy MacPherson, uma mergulhadora e instrutora do Tennessee. Um pouco mais de um ano atrás, ela encontrou tantos soldados feridos voltando do Iraque para Fort Campbell, perto de sua casa, que decidiu fazer algo para a Comunidade Blanchfield Hospital e então convenceu um a um a deixar o seu posto de soldado ferido pra tornarem-se os guerreiros submersos. Agora com uma piscina baseada em Fort Campbell, ela e vários outros voluntários fazem o Discover Scuba para os soldados feridos e seus familiares, a maioria dos quais ainda estão em terapia. Eles já viram cerca de 20 soldados feridos conseguirem certificação de mergulho, incluindo um grupo de cinco que foram para Cayman atrás de águas quentes para mergulhos de certificação

Durante seu tempo na ilha, O Soldado Shrode perseguiu barracudas, e viu um Tubarão-martelo nadando a distância. “Mergulho lhe dá muita liberdade. “Não há nenhuma desvantagem quando se esta debaixo da água, todos são iguais”, diz ele. Seus conselhos aos outros feridos veteranos: “Mantenha sua cabeça para cima. Não deixe que o seu problema pare você. Antes de tudo isso, eu não sabia que iria gostar do mergulho. Mas hoje eu não sei mais viver sem. Encontrem algo que amem. Aprendam a mergulha. ”

JD Greer, um aposentado de Green Beret que perdeu um braço, ouviu falar tanto sobre seus colegas veteranos e as viagens Submarinas dos Guerreiros que ele planeja continuar com certificações para divemaster e instrutor e em seguida, promover mergulho de reabilitação para veteranos feridos. “Com a minha lesão e a minha atitude, penso que posso fazer alguma coisa para lhes dar alguma esperança”, diz Greer.

MacPherson chama os Guerreiros de “uma mente, corpo, espírito do programa” é um “verdadeiro impulso para o bem estar.” Ela ressalta a importância de programas como o dela para soldados que estão motivados, mas precisam de um impulso. “Quando você está centrado na sua respiração, você não pode incidir sobre a negatividade em sua vida”, diz MacPherson.

MacPherson tem a mesma opinião para famílias de veteranos.
“Isso ajuda para que todos entendam o soldados ferido e sintam-se melhor com ele e felizes por ele estar conseguindo algo que realmente só depende do seu próprio esforço”

Para saber mais sobre esses projetos:

 

 

 

 

 

 

 

 


http://www.hsascuba.com/ 

 

 FONTE:Jennie Lay

 

Grande abraço a todos e bons mergulhos.