Japão desiste de disfarçar a caça à baleia de “ciência”

Japão desiste de disfarçar a caça à baleia de “ciência”

AFRA BALAZINA
Enviada especial da Folha de S.Paulo a Tóquio

Perto do templo mais famoso de Tóquio, o Asakusa Kannon, uma loja chama a atenção: tem uma das paredes coberta pela pintura de uma baleia e as prateleiras estão repletas de latas de diferentes tipos –todas contém carne do maior animal marinho. Uma baleia azul de pelúcia enfeita o local, além de inúmeros suvenires desses mamíferos em miniatura.

O dono do mercadinho primeiro expulsa a curiosa ao ver um flash ser disparado. Depois, ao perceber que a suposta turista –uma repórter– insiste em conhecer a loja e comprar latas de carne, pede desculpas, em inglês, e lhe dá de brinde pequenas baleias de porcelana.

A reação do comerciante e seu receio às fotos reflete a polêmica existente em torno da caça científica realizada pelo Japão e que tem, como produto, a carne vendida em mercados e restaurantes japoneses.

Apesar de a moratória à caça comercial vigorar desde 1986, o Japão possui uma cota de captura científica na Antártida que atinge cerca de mil baleias por ano. O governo japonês reconhece que a atividade resulta na venda de 5.000 toneladas de carne de baleia ao ano no país.

Tsuyoshi Iwata, diretor-assistente da Divisão Oceânica da Agência de Pesca do Japão, usa vários argumentos para justificar a intenção do país de voltar a caçar comercialmente. Diz que é preciso matar animais “para pesquisa” e que a importância da carne de baleia na dieta local tende a aumentar.

“Nós temos tradição de comer carne de baleia. E, no futuro, esse uso deve ficar ainda mais importante em razão da crise mundial de alimentos”, diz Iwata, lembrando que o Japão importa muitos alimentos.

Ele diz, ainda, que só matando é possível saber o que as baleias comem (ao analisar o conteúdo do estômago) e descobrir com precisão idade e tamanho.

Matar para argumentar

Sara Holden, coordenadora internacional da campanha de Baleias do Greenpeace, ironiza esse tipo de afirmação. “O conteúdo do estômago é o mesmo de muitos anos atrás. E é possível saber aproximadamente idade e tamanho sem matar.”

Iwata, porém, afirma que, quanto mais baleias forem mortas, mais estatística haverá para provar que é viável voltar a caçar de maneira comercial.

“Em nossa opinião, não existe diferença entre carne de baleia e atum, por exemplo. É um recurso marinho que deve ser utilizado, desde que seja abundante.” Os japoneses abatem na região da Antártida até 935 baleias minke, espécie que aparece na categoria “risco menor/dependente de conservação” na lista vermelha de animais ameaçados da IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza).

Também estão na cota 2007/ 2008 outras 50 baleias-fin, espécie da categoria “em perigo”, e 50 jubarte, da categoria “vulnerável”. Sob pressão, o país disse que não caçaria jubartes pelo menos até o meio do ano.

Tanto ONGs quanto outros países, como o Brasil, questionam a matança. Na opinião de Bernardo Velloso, chefe da Divisão do Mar, da Antártida e do Espaço, do Ministério das Relações Exteriores, o número de baleias abatidas na caça “dita científica” não é justificável do ponto de vista técnico.

De acordo com ele, outro problema é o fato de a cota incluir “50 baleias jubarte, consideradas universalmente o símbolo da espécie em extinção”.

O Brasil, que só na década de 80 proibiu a caça, hoje defende o “uso não-letal” desses animais, como o turismo para observação de baleias, que gera lucro e está em expansão.

Mesmo assumindo considerar o abate de baleias natural, os japoneses ainda parecem sentir certo constrangimento com a ação. Leandra Gonçalves, do Greenpeace, seguiu navios na Antártida entre o final de 2007 e início deste ano. “Decidiram não caçar na nossa frente. Perseguimos a frota por duas semanas e impedimos a caça de mais de cem baleias.”

http://www1.folha.uol.com.br:80/folha/ambiente/ult10007u422252.shtml
——————————————————————————————

Como eu disse uma vez…seria bom que toda sabedoria japonesa não fosse restrita somente a terra firme !!!

Diving Science::The Book

Fala galera, blzzz ?
Desculpem a falta de atualizações no blog, porém estou numa correria danada no trampo. A notícia boa da semana é que comprei o meu computador de mergulho o Aeris Manta por $299 na Leasure Pro em NY.

Vou falar o porque da minha escolha sobre o computador num próximo post.

Nesse posto quero falar sobre outra compra que fiz, que é o livro Diving Science.
Estou organizando outros posts importantes para vir ao blog e assim que estiver com tudo em cima posto para todos vocês.
Um grande abraço e continue, visitando as outras matérias…

Esta semana comprei através da Amazon um livro sensacional para quem esta seguindo carreira no mergulho.

O livro se chama Diving Science dos autores Michael B. Strauss e Igor V. Aksenov, ambos mergulhadores e especialistas em medicina e fisiologia do mergulho.

O livro Prepara você para cada aventura submarina e seus desafios. O objetivo principal é ajuda você a antecipar, reconhecer e responder aos sinais físicos, fisiológicos e psicológicos encontrados no mergulho. Escrito por dois especialistas em fisiologia do mergulho e da medicina, esse recurso global irá ajudá-lo a gerenciar cada etapa de um mergulho, com mais segurança e com êxito. Quer você esteja na superfície ou no fundo, na descida ou subida, você saberá exatamente o que fazer e quando fazê-lo. Com informações sobre tudo, desde as manobras dos gases a primeiras respostas e intervenções para problemas médicos.

Para conhecer um pouco mais sobre o livro, visite o link na amazon.

Ou se você preferir dar uma olhada dentro do livro, visite este link.

Grande Abraço a todos, até+

Curso de Naufrágio

Cursos realizados até o momento:

Básico
Avançado
Emergency First Response
Rescue Diver
Equipamentos
Naufrágio

Instrutor: Orlando Franceschini
Assistência na piscina: Carlão (O Carlão da Narwhal)

Lembra quando éramos crianças e nossos pais viviam dizendo para não fazermos isso ou aquilo e nós como boas crianças iamos lá e faziamos com a maior cara de pau? Pois é, nestas situações o máximo que acontecia era uma choque por ter enfiado o dedo na tomada e umas boas chineladas como consequência da malcriação.

Pois é o problema é que crescemos e hoje em dia decidimos fazer coisas que como tudo na vida tem regra e quando não respeitamos essas regras acontece os acidentes. Diferentemente de quando éramos crianças o problema pode ser maior e em muitos casos o resultado foi de chineladas eternas no paraíso.

O curso de naufrágio era um dos mais esperados por mim no plano de carreira na Narwhal, desde criança sempre fui maluco por história e também adorava pegar os equipamentos de mergulho do meu pai para brincar na piscina do clube e fingir que estava em um interessante naufrágio criado pela minha imaginação. Eu cresci e comecei a curtir mais ainda as histórias da segunda guerra mundial, hoje coleciono dezenas de fotos, documentos, sons e claro livros da segunda guerra. E por conta deste interesse claro que eu seria mais um candidato a Mergulhador de Neufrágio da PADI.

Tudo começa na sexta a feira a noite, este é o primeiro curso que exige um pouco mais de tempo, começa na sexta feira, 7.40 da noite e terminou por volta das 22.30, continuando no sábado e no domingo. Sendo este último escolhido como o dia das atividades na piscina.

No começo é como todos os outros, apostila jóia com fotos e videos em aula.
Exercicíos e mais exercicíos com provas.
O curso da uma base muito boa, fala inclusive de leis em um naufrágio, o que você pode ou não pegar e quando você pode ou não pegar algo, entrar num naufrágio ou até mesmo mergulhar em um.
Mostra videos sensacionais com muita informação.
Uma delas é que a capital dos naufrágio no Brasil é recife, lugarzinho com muitos naufrágios históricos, inclusive da segunda grande guerra, muitos naufrágios atificiais, prato cheio para mergulhadores que estão sempre querendo curtir um passeio interessante.

Este curso também foi o primeiro a modificar o padrão de batidas de pernas, aqui você aprende o tipo de remada que você deve fazer durante um mergulho em naufrágio. Tudo dentro deste mergulho é feito com muita calma e tranquilidade e as remadas servem para te dar um pequeno impulso ao mesmo tempo em que não levanta nenhum tipo de sedimentos no chão do naufrágio. Este tipo de cuidado também ajuda a não esbarrar nas coisas, muitos naufrágios ou a maioria deles é extremamente sensível, qualquer esbarrão pode quebrar algo ou até mesmo fazer como que venha abaixo o lugar aonde você esta mergulhando.

Existem outras tecnicas que aprendemos para averiguar se um lugar oferece ou não risco de desabamento, nada 100% garantido, mas é de grande ajuda e pode resolver muitos problemas.

Outra coisa legal é a quantidade de informações sobre locais de mergulho e história interessantes que você consegue com seus intrutor. É tanta coisa e experiência que deixa você com mais vontade de fazer este tipo de mergulho ou com mais receio, depende do seu ponto de vista. Porém felizmente a maioria das histórias foram engraçadas.

Além das história e o conteúdo cultura que você acaba adquirindo no curso é interessante também a parte da piscina que é colocar em prática todo treino que aprendemos em sala de aula na teoria. Lembrando que como eu falei assistimos alguns filmes de mergulhos em naufrágios justamente para aprendermos combinações de movimentos e ações que serão usados no mergulho.

A piscina é composta por uma série de exercicíos. Não vou detalhar estes exercicíos simplesmente porque eles ocorrem com uma certa surpresa, então é melhor que eu não estrague a sua.
Porém, é interessante aprender mais técnicas de flutuabilidade e controle de respiração.
Também colocamos em prática a nova batida de perna utilizada para dar movimentos menos bruscos e não levantar sedimentos dentro do naufrágio.
Outra coisa bem bacana é a total retirada do equipamento do corpo para simular uma entrada em escotilha, muito legal de fazer e aprender e isso derrepente pode até ajudar você a se vestir mais rápido (dentro da água) no curso de rescue diver.
Ainda aprendemos a manejar a carretilha, situações de falta de oxigênio dentro do naufrágio e pouca ou nenhuma visibilidade no mergulho, é simplesmente sensacional muito bacana mesmo e pode ter certeza que você vai aprender muito.

Uma das coisas mais legais até agora é que dei sorte de não ter caído no velho truque de ficar afobado e comprar equipamentos como roupa e colete logo no curso de avançado.
Isso porque ao longo do curso você vai aprender diversas coisas sobre equipamentos que vai ajudar na sua escolha.
No meu caso, neste final de semana aprendi que no mergulho é necessário dividir os pesos dos lastros entre sua cintura e o colete, isso porque é muito dificil lhe dar com as coisas quando você retira seu colete debaixo da água para entrar no naufrágio, se você estiver com todo lastro no corpo, você tende a descer e o seu colete a subir. Mas se estiver com todo lastro integrado no colete, você tende a subir e o colete a descer e isso pode colocar você em mals ventos.

Quanto a roupa para este curso vale tudo que escrevi no posto passado sobre Roupas de Mergulho que esta logo abaixo este post.

De resto você vai aprender muita coisa mesmo e vai começar a sentir-se mais confiante.

Conclusão:
Lembra de que forma comecei este texto, falando de castigos e problemas?
Pois é, a conclusão depois deste curso é que se arriscar em qualquer naufrágio sem treinamento é complicado, uma série de coisas exigem técnicas que você só aprende no curso e mergulhando.
Problemas não tem como ser evitados podem ser amenizados, mas um dia ou uma hora você vai se enroscar ou vai estar em uma situação que vai ser necessário toda calma que só o treinamento pode lhe dar, por tanto, não se arrisque a toa, faça o curso que vale muito a pena e divirta-se.

Nosso instrutor deixou uma lista de livros para lermos, segue abaixo:

-Sob o Mar
Editora Alegro

-O mundo Silencioso
Jacques Costeau

– Ilha Bela, seus enigmas
Jeannis Michail Platon

– Mergulho na escuridão
Robert Turson

– O último mergulho
Bernie ChowDhury

-Guia de Naufrágios de Angra dos reis

– Principe das Asturias

– O Brasil na Mira de Hitler

Valeu galera, forte abraço e até mais !!!

Curso EFR/RESCUE DIVER

Cursos realizados até o momentos:

Básico
Avançado
Equipamentos
Emergency First Response
Rescue Diver

Fala galera, blzzz ?
Todo mundo tranqüilo depois do feriado prolongado? Espero que todos tenham aproveitado bons mergulhos.

 

Bom, estou de volta depois de escrever três matérias longas sobre mergulhos e turismo no Hawaii, espero que tenham gostado bastante.

 

Hoje vou falar sobre a continuação da minha carreira como mergulhador.

No fim de semana do dia 26 e 27 de Abril, estive em São Paulo para realizar os cursos de EFR e Rescue Diver.

Fui na expectativa de assistir o curso que é dito como o melhor do plano de carreira até o instrutor. Melhor desde o fato do assunto que aprendemos até os chek-outs feitos na praia, parece que é o mais cansativo, porém gratificante, é aquele tipo de curso que de certo modo trás um pouco de sofrimento, porém sabemos que todo sofrimento ajuda a unir as pessoas para enfrentar as dificuldades.

 

O curso é ministrado pelo instrutor Orlando Franceschini Filho IDCS: 191833, um cara muito gente boa e experiente. Extremamente profissional, assim como todos na Narwhal e muito didático, fica muito fácil de entender com o modo que ele explica uma excelente recomendação se você deseja fazer seu curso.

Bom, esse posto não tem como eu falar as coisas que aprendi, pois aprendi o que todo socorrista básico deve aprender.

 

Emergency First Response – Cuidados Primários ou Primary Care
É o tipo de socorro ministrado quando existe perigo de morte, inclusive o RCP, que é a famosa compressão toráxica e checagem dos sinais vitais.

Emergency First Response – Cuidados Secundários ou Secundary Care
Que é o socorro que já não envolve perigo de morte, são aqueles socorros ministrados caso ocorra algum atraso da emergência profissional e você tenha que fazer curativos, estancar sangramentos, colocar talas e etc.

Dentro destes dois mundos, você aprende coisa que poderão servir tanto para um acidente de mergulho quanto para o dia a dia, seja no trabalho, rua ou em casa.

No mundo do mergulho, aprendemos a manejar o equipamento de O2 e ministrar para uma pessoa que sofreu um acidente de mergulho (não é curso de provedor O2), além de outras coisas.

 

É um curso extremamente completo e julgo dizer até que necessário pois nunca sabemos o que de fato pode acontecer por ai.

 

O curso de Rescue é o que efetivamente vai formar você como um mergulhador de resgate. Esse é o curso que tanto esperamos e se você faz o plano de carreira como eu, aguarde com muita atenção.

O curso em sala não tem segredo, é nada mais do que aprender práticas teóricas sobre como procurar e resgatar um mergulhador perdido.

Mas ai começa as coisas mais legais, a primeira é cair na água totalmente equipado em 30 segundos, a segunda é procurar e trazer o para o barco um acidentado em 4.30 minutos e depois vem coordenar toda uma operação de resgate, é sensacional. Ainda não fiz meu check out no mar mas assim que o fizer irei postar aqui. E como fazer tudo isso ??? Faça o curso que você com certeza vai aprender, vale muito apena.

Fora todo esse aprendizado que já é muito bacana, tem ainda o fato de aprender coisas para ajudar pessoas. Fico feliz de ter minha carteira de socorrista e poder ajudar alguém que esteja necessitando, aprendemos no curso que nosso socorro pode poupar um tempo de muito valor para a vitima, fazendo a diferença entra uma seqüela ou até mesmo entre a vida e a morte.

 

Aprendemos também alguns meios legais sobre ser um socorrista, o que podemos ou não fazer, quando agirmos ou não agirmos e por ai vai, uma série de dicas e ensinamentos que nos deixamos completamente seguros e confiantes para fazer a diferença no momento em que for preciso.

Caro amigo, faça o curso, você não vai se arrepender e vai adorar.

Mais uma vez repito que não vou passar informações mais detalhadas sobre o que aprendemos, porque é o tipo de curso que você conhece na prática, não na teoria. Minha função aqui é apenas dizer o que você vai aprender e dizer para você fazer o curso.

Um grande abraço para todos, e dentro desses dias vou postar uma matéria especial sobre naufrágios da segunda guerra na costa brasileira, aguardem, por enquanto é só, um grande abraço para todos e até breve no check-out de rescue.

Bismarck, talvez o naufragio mais histórico (e curioso) do mundo…

“O Bismarck foi o navio de guerra mais temido do mundo, uma superarma nazista destinada a cortar a linha de suprimentos dos britânicos durante a 2.ª Guerra. Suas armas tinham capacidade para disparar granadas a uma distância de 38 quilômetros. Na sua primeira batalha, em 1941, os britânicos reagiram com todas as suas forças e a determinação britânica se reforçou depois que o Bismarck destruiu o Hood, considerado o melhor navio da Grã-Bretanha, matando todos seus 1.415 homens com exceção de 3.

‘Afundem o Bismarck’! tornou-se o grito de guerra dos ingleses. Depois de ser perseguido por uma frota de navios e aviões britânicos e constantemente atacado por granadas e torpedos, o Bismarck foi a pique a 965 quilômetros da costa francesa, em 17 de maio de 1941. Era o oitavo dia de missão do encouraçado. A vitória tornou-se um marco do orgulho britânico.

Mas novas provas indicam que a história pode estar errada. ‘O navio não foi afundado pelos britânicos’, diz Alfred S. McLaren, um especialista naval que estudou o naufrágio em duas expedições. ‘Os próprios tripulantes fizeram rombos deliberadamente na embarcação para que ela afundasse.’

A conclusão ainda é veementemente contestada por pesquisadores britânicos.

Mas cinco expedições que fizeram o reconhecimento do lugar e três equipes independentes de exploradores americanos concluíram que o bom estado do famoso navio é surpreendente. Nas laterais do seu casco, não há nenhum grande estrago visível resultante do fogo inimigo, disseram os exploradores americanos, o que sugere que o Bismarck foi realmente afundado de propósito – como os sobreviventes alemães alegaram esse tempo todo, dizendo que sua tradição naval era afundar deliberadamente navios que corriam perigo de caírem em mãos inimigas.

Afundem o Bismarck – Filme de 1960
O produtor de Titanic, James Cameron faz especial sobre o Bismarck.

Mais sobre o Bismarck
Bismarck, a verdadeira história

Estágio em Noronha.

Com certeza um dos maiores atrativos de quem vai fazer o plano de carreira na Narwhal é a grande possíbilidade de estagiar em fernando de noronha. Imagine você naquele paraíso, naquele cenário perfeitamente criado, ainda com a mordomia de ter várias coisas pagas (fora alimentação, passagens e depesas pessoais). É o emprego que todo mundo pediu.
Tenho que dizer que no começo me arrisquei a pensar dessa forma, porém comecei a perceber o estilo das pessoas que passaram por noronha e das pessoas que desistiram de ficar mais tempo em Noronha. Pois é, o preço de estar no paraíso com o trabalho dos sonhos, é suar a camisa muito mais do que em qualquer outro lugar. Carregar uns 500 cilindros por dia, fazer mais de 6 mergulhos por dia, nem eu sei quantas horas ficamos dentro do mar e no final do dia, você capota e cai morto de cansado, deve ser parecido com o exército. Para quem vai pensando do modo que eu comecei a escrever este post, realmente no fim da primeira semana, quer cair fora daquela loucura, São Paulo é o verdadeiro paraíso. Mas para quem tem realmene a vontade de ser um verdadeiro mergulhador, Noronha é tradição e necessidade. E é sobre isso o post de hoje.

Alguns amigos, quando comentei sobre irmos para a ilha em dezembro ficaram completamente felizes e a maioria das coisas que diziam era sobre querer um emprego desse ou querer ter a sorte de ir para lá também.
Como diz Oscar Shimidt o maior cestinha do Brasil, Mão santa que nada, Mão treinada.
Desde o começo do curso, sempre deixei bem claro ao grande Carlão da Narwhal que nosso objetivo era chegar a Fernando de Noronha e com o tempo, fui aprendendo que não precisa ser um grande mergulhador para ir a Noronha, isso mesmo, não precisa. Até porque, grandes mergulhadores em por volta de vários mergulhos no log e uma média de vários anos de experiência. É como dirigir um carro, você aprende o básico para se virar e voltar bem para casa, o resto, só dirigindo, treinando e adquirindo a famosa e tão falada experiência. E lembra-se de quando eu falei que sempre deixei claro nossos objetivos?O de ir Para Noronha? Pois é, quase certeza que essa é a diferença fundamental. Além de se dedicar, de se esforçar e mostrar que você é capaz, é preciso ter o perfil daquilo tudo ou como falei no começo do post, deixa de ser o paraíso para ser o inferno, não precisa ser nenhum maluco por acadêmia ou viciado em ficar acabado de tanto exercicío, mas precisa ter vontade, querer fazer, trabalhar em equipe e fazer parte do melhor sempre. Precisa demonstrar a vontade de querer ser algo mais. No mergulho como na vida, precisa mostrar vontade, de vencer, de ser o melhor e o mais legal, precisa ser humilde quando terminar o seu estágio lá e ser um ótimo mergulhador como você vai ser depois de sair de lá. Como diria um livro que eu li.

Somente quando você andar entre a peble e não se corromper e andar entre os reis e ser natural você vai ser um homem e alguém.

Grande abraço a todos….Noronha que nos aguarde….

Live Aboard – Páscoa – Março 2008

LiveAboard =´Passar alguns dias no mar, dentro do barco. Acampamento em alto mar.

Quando bateu a ideia de nos tornarmos instrutores nunca parei para pensar na quantidade de gente q eu acabaria conhecendo. a padi sempre fala em seus livros sobre o quanto eh importante fazer amigos, fala tanto que as vezes parece mais importante as amizades do que o proprio mergulho em si. para qm le na primeira vez e nunca mergulhou, isso soa como qualquer bobagem (como ja ouvi por ai) parece uma besteira que eles batem em cima apenas para mostrar o lado humano da empresa. Porem, desde que iniciei a minha carreira, tenho descobrido cada vez mais o valor das amizades e o quanto elas sao especiais e para qm falou e achou q era bobeira, espero que hj estejam tao surpresos quanto eu… vamos la…

o feriado começou na quinta feira ao meio dia…sai do trabalho em sao carlos exatamente ao meio dia para pegar estrada. meu medo era pegar muito transito tanto na estrada quanto na balsa de ilha bela (nunca esqueçam da balsa)
mas foi tudo bem, tirando as duas horas para pegar a balsa auhahuua…
chegamos na ilha umas 6 e poko da tarde e de cara encontramos o carlao qu enos orientou a tomar um banho (nos chamou de fedidos) e depois arrumarmos as coisas para levarmos ao barco, iriamos dormir ja nesta noite lá.
Tudo bem, tomamos banho, arrumamos equipamentos, sakolas com roupas e fomos para o barco…la conhecemos o resto da staff e tbm das pessoas que estavam ali pelo mesmo motivo que nós.

As primeiras dicas vem agora:

Confira tudo antes de entrar no barco, nao eskeça nada do carro, remedios contra enjoo, dor de cabeça e seja la o q for q vc possa ter, se existir possibilidade leve, vc esta no meio do mar, naum eskeça.

Economize muito na agua…existe muito pouka agua para todos, aprenda a conviver em grupo e naum deixe o egoismo reinar na hora de passar creme no cabelo debaixo d agua ou relaxar…

sem frescura 02, sem frescura…live aboard eh isso ai, chao molhado, equipamentos pelo chao (mas organizados) e se vcs tiverem sorte a comida vai ser otima, se o carlao estiver no barco, caso contrario, nao sei o q sera de vcs…

as camas sao confortaveis, eu me senti bem para dormir, o balanço do barco parecei ter o efeito de um berço. mas vc pode nao gostar, por isso o remedio contra enjoo…mas naum se preocupe, vc vai estar tao cansado do dia corrido de mergulhos seguidos que vai desmaiar assim q deitar de banho tomado…

aproveite o live aboard para aprender e corrigir suas falhas, mergulhe sempre com intenção de treinar ao mesmo tempo em que passeia.

divirta-se pq vc vai rir pra kct…
Bom, com o tempo vamos conhecendo as pessoas, ja no segundo dia eu tinha uma amizade com todo mundo, um povo legal, claro que algumas pessoas se identificam mais com vc e vc começa a fazer mergulhos em grupos e percebe que mergulhar com a galera eh bommmm demais…akele monte de gente na agua eh engraçado, um fazendo mais palhaçada que o outro, atras de peixes, tarugos e por ai vai…
A comida era sempre uma maravilha, no nosso caso, contamos com o rafinha no barco, ele eh da staff e faz pesca submarina, pegou alguns pexeis grandes e da hora para fazer sachimi…aaaa filhao, comi kilos e kilos auhauhauha…mas tinhamos churras tbm, carne, arroz, frutas no cafe da manha, mal alimentado vc naum vai ser…mas agora vem outra dica:

Nao tinha enjoado no barco ainda, mas um belo dia, acordei um poko mais tarde e tinhamos que mergulhar logo, tomei um leite com pao e cai na agua…quando estava no mergulho com a minha esposa, virei de ponta cabeça para poder ver um peixei debaixo de uma pedra, no instante seguinte quando voltei a posição normal, comecei a passar mal, sentir enjoo que piorou durante o resto do mergulho…assim que terminei e voltei a superficie, achei q iria vomitar, mas nao aconteceu…a merda eh q como o barco balança muito ele acabou mantendo meu enjoo e akilo me incomodou o dia todo… se for mergulhar logo, prefira comer frutas e coisa leve, o leite me ferrou pq eh muito gorduroso e demora para fazer digestao…
Quanto ao frio…vc aprende que luvas e toca fazem muita diferença…70% do calor do corpo escapa pela cabeçona, quando vc esta com o capuz vc aguenta muito mais frio..se vc naum tm roupa seca, eh uma boa ideia ter o capuz…e mais, vc deve ter tbm akela blusa mais fina, naum lembro o nome do material que vc usa por baixa de qualquer roupa, ela ajuda demais a manter o calor do corpo.

Outra ideia boa eh se vc naum tem um computador de mergulho, forme um grupo com qm tem, vai ser muito utilizado para fazer paradas descompressivas e tbm para vc anotar os dados do mergulho depois.
De resto, mergulhamos demais em varios locais de ilha bela. Ilha de buzios, ilha da vitoria, ilha das cagadas (a lage de ilha bela) e no naufragio velasquez. Foi um fim de semana genial, muito engraçado aonde fiz amigos, bons amigos que vou levar pela vida toda e com certeza vamos mergulhar muito por ai…

Um agradecimento especial a Staff…ROnaldo, Rafinha, Carlao e Tarcisio…pessoas experientes, inteligentes e acima de tudo com vontade de ensinar, aprender e humildes. vcs sao fera galera…

Aos amigos, gondo, guilherme, lu, carlao, tarcisio tamos junto aeee…em breve estaremos na lage de santos…
forte abraço a todos…se cuidem e ate mais !!

O mais importante desse live aboard e a dica mais valiosa eh a seguinte:

Aprenda a conviver em grupo. tolere os defeitos das pessoas, afinal, sao pessoas e como vc, tem defeitos.

Seja paciente, tenha espirito de ajudar, para que ser o melhor mergulhador e guardar tudo para vc ? besteira, isso eh um sucesso vazio e solitario, keira compartilhar, ajudar, ensinar e nunca esqueça o principal objetivo do mergulho, mudar a vida das pessoas e torna-las mais felizes.

Dedique-se, se vc vai seguir carreira, seja dedicado em aprender, nao permita errar, mas se errar, tenha paciencia e tente outra vez com ajuda se precisar, ate descobrir que akilo que preocupava vc eh a coisa mais tranquila do mundo. Mas nunca deixe o erro prevalecer, pois um dia ele pode ser fatal por mais bobo que seja.

Preocupe-se com todos ao seu redor, afinal, naum eh vc e dupla eh vc e alguns amigos.

divirta-se, de risada, fale bobagem, mergulhe…eh isso que vc vai lembrar na segunda feira a tarde, perto da hora de sair do trampo…

faça amigos.

Mergulhe….

Fotos gentilmente enviadas pelo amigo Gondo: http://gondoc.multiply.com/photos/album/67

img_2738menor.jpgimg_2742menor.jpgimg_2747menor.jpgimg_2754menor.jpg
img_2761menor.jpgimg_2766menor.jpgimg_2767menor.jpgimg_2771menor.jpg
img_2784menor.jpgimg_2787menor.jpgimg_2789menor.jpg
atyaaadml6engzwg709_4vqpydbvq24dyivoukowqypgaakruftdcwb2z-jri-ioykh4pydb7itmdmeli13va5bkfzsoajtu9vazzwf0gwkdko-eutqt8bfy7sf-pg.jpg