Cuidados com equipamentos.

Fala galerinha, blzz?
Certa vez, circulando pela internet, vi um post em outro blog de um cara falando sobre uma das vantagens de ter malas para guardar seus equipamentos de mergulho.
O que ele falou é o seguinte:
A grande vantagem de ter uma mala para guardar seus equipamentos de mergulho é além do fato de ter tudo guardado sempre, organizado e não precisar ficar refazendo mala toda vez que for viajar é o fato de manter o seu equipamento úmido. Isso mesmo, isso é vantagem pelo seguinte.
Se você é um daqueles que tem uma certa preguiça de lavar todos os equipamentos depois de chegar de uma viagem, é melhor conservá-los dentro da mala, porque a mala os mantém úmido por um certo tempo, até você ou tomar vergonha ou levar para uma operadora de mergulho que lave todo seu equipamento, troque o-rings, lubrifique o que é necessário e etc. (Hoje quase todas fazem isso por volta dos R$15 à R$ 20). Eu pessoalmente vi isso com um amigo que tem a mala gorila (seca) da cressi, ele foi mergulhar e deixou o seu equipamento dentro dessa mala por umas duas semanas até lavar, a única coisa que ele fez foi encher a mala de água. Lembrando que essa mala é seca, ou seja, é totalmente vedado para não entrar ou sair água, como você desejar.

 

Manter o equipamento úmido evita que o sal se cristalize o que realmente acaba por causar dano no equipamento, caso você não tenha tempo ou “pique” para limpar seu equipamento assim que chegar em casa, a melhor solução é deixá-lo úmido dentro da sua mala e lavar o quanto antes puder.

Espero que os que estão pensando em comprar uma mala, agora entendam uma de suas utilidades.

Grande abraaaço e até+

 


Anúncios

Desidratação…Cuidados

Sol quente. Mar perfeito. Brisa no rosto. Pode haver um mar azul a sua frente por toda parte, porém, se você não se cuidar, pode dizer adeus a tudo isso assim que chegar ao seu ponto de mergulho. Todas as maravilhas de mergulho tropical podem deixar você tão seco como uma fatia de carne de sol…no sol. 

Desidratação durante o mergulho não é apenas desagradável, pode ser perigoso. “Para cada quilo de suor” que você perde, a sua freqüência cardíaca aumenta cerca de oito batimentos por minuto, o seu débito cardíaco ou o quanto o seu coração bomba de sangue para o corpo, cai um litro por minuto, o seu corpo pode perder calor rapidamente durante este estado, “Diz Molly Kimball, nutricionista desportivo da Ochsner Clinic’s Elmwood Fitness Center, em Nova Orleans”. Menos volume sanguíneo equivale a menos do fluxo sanguíneo para os músculos e tecidos. Você não só se cansa mais rapidamente, mas você elimina nitrogênio mais lentamente, aumentando seu risco para a doença descompressiva. Desidratação também faz você ficar atordoado ou bobo, diz Bob Moon, um biólogo de Denver que pesquisa os efeitos da desidratação em militares dos EUA. “Tenho visto navegadores profissionais perderem a capacidade de executar as competências básicas com cinco a seis por cento de desidratação, e depois vai embora a capacidade mental e motora, vem o pânico”, diz ele. Aumentando assim a possibilidade de erro, narcose ou qualquer outro tipo de problema possível durante o mergulho. 

Água, para todos.
Durante o mergulho, fluidos fogem do seu corpo de quase todas as maneiras imagináveis. Para começar, sem a umidade do ar em seu cilindro para proteger o seu equipamento de corrosão, a cada vez que você inalar o ar árido do seu regulador, você perde o dobro de umidade a partir de sua garganta e os pulmões para fazer com que o ar chegue úmido e normal para o seu consumo.

Quando você mergulha cria uma situação denominada imersão diurese – também conhecido como o desejo de urinar. Imersão, especialmente na água que é mais fria do que o ar, provoca estreitamento dos vasos sanguíneos nos seus braços e pernas, enviando mais sangue de volta para o núcleo do seu corpo. Seu corpo registra toda esta corrida de sangue para o órgão central como uma sobrecarga de fluidos, de modo que os rins aumentam sua produção de urina em seu corpo.

Por último, o esforço do mergulho nos seca. Locomover-se debaixo da água, raciocinar, tirar fotos, ou apenas ficar observando cansa o nosso corpo como não imaginamos, fora isso, ainda nadamos contra correntes, passamos tardes quentes de sol e tudo isso e muitos outros fatores combinados faz o corpo perder muita água.

Hidratando nossa máquina antes do mergulho.
A maneira mais óbvia de permanecer bem-hidratado é bebendo água muitas vezes ao dia. Alguns mergulhadores intencionalmente evitam beber liquido demais com medo de ter de urinar nos seus trajes de mergulho. Mas cuidado, você pode estar criando um quadro de desidratação. “Considere beber pelo menos metade do seu peso corporal por dia algo em média de oito copos por dia para uma mulher e 10 para um homem de pesos considerados normais, tudo isso Nos dias que antecedem o seu mergulho “, diz Kimball, que recomenda inclusive bebidas desportivas para substituir os minerais e outros nutrientes que perdemos no mergulho. De preferência ao Gatorade e não para bebidas como redbull entre outros, pois contém cafeína o que desidrata o corpo.

 

Pegue leve no álcool>
O álcool é um diurético que suprime a liberação de um hormônio que ajuda o seu organismo reter fluidos. Apesar de beber pouco na noite anterior é legal você ter precauções e tomar um copo de água junto com cada bebida alcoólica, e melhor ainda se o bar fechar para você depois de duas bebidas.

 

Cuidado com a cafeína>
Cafeína não é o demônio diurético muito como é acusado de ser, mas, pelo incentiva a perda de fluidos pelo corpo, portanto, seria inteligente demais não beber. Apenas um copo pela manhã.

 

Mantenha sua temperatura estável>
Fica frio ou quente demais faz com que o seu corpo trabalhe mais para manter sua temperatura normal e com isso você além de se cansar mais, perde mais líquido, use um capuz quando a água estiver muito fria. A bordo do barco, mantenha-se aquecido e confortável.

 

Diga Sim aos carboidratos>
Mandar aquele bife com ovos na manhã do seu mergulho não é bacana se você faz musculação, esqueçam tomar o Whein Protein, proteínas são alimentos que exigem mais energia e água para digerir. Carboidratos, como pães, cereais e grãos, são digestivos e utilizam menos energia ajudando a manter os fluidos corporais em dia.

 

Vá pela sombra>
Não é nenhum segredo que o sol suga umidade. Proteja-se contra os efeitos do sol e vento, prefira ficar na sombra, quando possível, e usando filtro solar, roupas soltas e quem sabe um vasto chapéu de Mexicano na cuca.

 

Escolha frutas suculentas>
Quando abastecer antes de um mergulho, inclua lotes de alimentos com muita água como laranjas, melões e outras frutas tropicais.

 

Cuidado com o vomitão>
Uma seqüência de galopes do barco e você enjoado pode deixar suas águas em níveis perigosamente baixos e/ou se você estiver em condições tropicais extremas, certifique-se de substituir os seus minerais perdidos e essenciais que o seu organismo necessita para funcionar corretamente. “Uma bebida esportiva como Gatorade é uma boa maneira de substituir sódio e outros minerais”, diz Kimball. “Ou se não tiver gatorade, diluir sumo da fruta pode ajudar também”.

Fonte: Médicos citados na matéria e pesquisas da DAN.

 

 

 

Curso de Naufrágio

Cursos realizados até o momento:

Básico
Avançado
Emergency First Response
Rescue Diver
Equipamentos
Naufrágio

Instrutor: Orlando Franceschini
Assistência na piscina: Carlão (O Carlão da Narwhal)

Lembra quando éramos crianças e nossos pais viviam dizendo para não fazermos isso ou aquilo e nós como boas crianças iamos lá e faziamos com a maior cara de pau? Pois é, nestas situações o máximo que acontecia era uma choque por ter enfiado o dedo na tomada e umas boas chineladas como consequência da malcriação.

Pois é o problema é que crescemos e hoje em dia decidimos fazer coisas que como tudo na vida tem regra e quando não respeitamos essas regras acontece os acidentes. Diferentemente de quando éramos crianças o problema pode ser maior e em muitos casos o resultado foi de chineladas eternas no paraíso.

O curso de naufrágio era um dos mais esperados por mim no plano de carreira na Narwhal, desde criança sempre fui maluco por história e também adorava pegar os equipamentos de mergulho do meu pai para brincar na piscina do clube e fingir que estava em um interessante naufrágio criado pela minha imaginação. Eu cresci e comecei a curtir mais ainda as histórias da segunda guerra mundial, hoje coleciono dezenas de fotos, documentos, sons e claro livros da segunda guerra. E por conta deste interesse claro que eu seria mais um candidato a Mergulhador de Neufrágio da PADI.

Tudo começa na sexta a feira a noite, este é o primeiro curso que exige um pouco mais de tempo, começa na sexta feira, 7.40 da noite e terminou por volta das 22.30, continuando no sábado e no domingo. Sendo este último escolhido como o dia das atividades na piscina.

No começo é como todos os outros, apostila jóia com fotos e videos em aula.
Exercicíos e mais exercicíos com provas.
O curso da uma base muito boa, fala inclusive de leis em um naufrágio, o que você pode ou não pegar e quando você pode ou não pegar algo, entrar num naufrágio ou até mesmo mergulhar em um.
Mostra videos sensacionais com muita informação.
Uma delas é que a capital dos naufrágio no Brasil é recife, lugarzinho com muitos naufrágios históricos, inclusive da segunda grande guerra, muitos naufrágios atificiais, prato cheio para mergulhadores que estão sempre querendo curtir um passeio interessante.

Este curso também foi o primeiro a modificar o padrão de batidas de pernas, aqui você aprende o tipo de remada que você deve fazer durante um mergulho em naufrágio. Tudo dentro deste mergulho é feito com muita calma e tranquilidade e as remadas servem para te dar um pequeno impulso ao mesmo tempo em que não levanta nenhum tipo de sedimentos no chão do naufrágio. Este tipo de cuidado também ajuda a não esbarrar nas coisas, muitos naufrágios ou a maioria deles é extremamente sensível, qualquer esbarrão pode quebrar algo ou até mesmo fazer como que venha abaixo o lugar aonde você esta mergulhando.

Existem outras tecnicas que aprendemos para averiguar se um lugar oferece ou não risco de desabamento, nada 100% garantido, mas é de grande ajuda e pode resolver muitos problemas.

Outra coisa legal é a quantidade de informações sobre locais de mergulho e história interessantes que você consegue com seus intrutor. É tanta coisa e experiência que deixa você com mais vontade de fazer este tipo de mergulho ou com mais receio, depende do seu ponto de vista. Porém felizmente a maioria das histórias foram engraçadas.

Além das história e o conteúdo cultura que você acaba adquirindo no curso é interessante também a parte da piscina que é colocar em prática todo treino que aprendemos em sala de aula na teoria. Lembrando que como eu falei assistimos alguns filmes de mergulhos em naufrágios justamente para aprendermos combinações de movimentos e ações que serão usados no mergulho.

A piscina é composta por uma série de exercicíos. Não vou detalhar estes exercicíos simplesmente porque eles ocorrem com uma certa surpresa, então é melhor que eu não estrague a sua.
Porém, é interessante aprender mais técnicas de flutuabilidade e controle de respiração.
Também colocamos em prática a nova batida de perna utilizada para dar movimentos menos bruscos e não levantar sedimentos dentro do naufrágio.
Outra coisa bem bacana é a total retirada do equipamento do corpo para simular uma entrada em escotilha, muito legal de fazer e aprender e isso derrepente pode até ajudar você a se vestir mais rápido (dentro da água) no curso de rescue diver.
Ainda aprendemos a manejar a carretilha, situações de falta de oxigênio dentro do naufrágio e pouca ou nenhuma visibilidade no mergulho, é simplesmente sensacional muito bacana mesmo e pode ter certeza que você vai aprender muito.

Uma das coisas mais legais até agora é que dei sorte de não ter caído no velho truque de ficar afobado e comprar equipamentos como roupa e colete logo no curso de avançado.
Isso porque ao longo do curso você vai aprender diversas coisas sobre equipamentos que vai ajudar na sua escolha.
No meu caso, neste final de semana aprendi que no mergulho é necessário dividir os pesos dos lastros entre sua cintura e o colete, isso porque é muito dificil lhe dar com as coisas quando você retira seu colete debaixo da água para entrar no naufrágio, se você estiver com todo lastro no corpo, você tende a descer e o seu colete a subir. Mas se estiver com todo lastro integrado no colete, você tende a subir e o colete a descer e isso pode colocar você em mals ventos.

Quanto a roupa para este curso vale tudo que escrevi no posto passado sobre Roupas de Mergulho que esta logo abaixo este post.

De resto você vai aprender muita coisa mesmo e vai começar a sentir-se mais confiante.

Conclusão:
Lembra de que forma comecei este texto, falando de castigos e problemas?
Pois é, a conclusão depois deste curso é que se arriscar em qualquer naufrágio sem treinamento é complicado, uma série de coisas exigem técnicas que você só aprende no curso e mergulhando.
Problemas não tem como ser evitados podem ser amenizados, mas um dia ou uma hora você vai se enroscar ou vai estar em uma situação que vai ser necessário toda calma que só o treinamento pode lhe dar, por tanto, não se arrisque a toa, faça o curso que vale muito a pena e divirta-se.

Nosso instrutor deixou uma lista de livros para lermos, segue abaixo:

-Sob o Mar
Editora Alegro

-O mundo Silencioso
Jacques Costeau

– Ilha Bela, seus enigmas
Jeannis Michail Platon

– Mergulho na escuridão
Robert Turson

– O último mergulho
Bernie ChowDhury

-Guia de Naufrágios de Angra dos reis

– Principe das Asturias

– O Brasil na Mira de Hitler

Valeu galera, forte abraço e até mais !!!