ÁLCOOL X MERGULHO

O Álcool e o mergulho.

 Era um dia de férias comum de alguns amigos, foi uma festa no paraíso. Um pequeno grupo de mergulhadores estava fazendo folia na noite anterior de um curso avançado em French Pass localizado na Nova Zelândia. Um lugar mágico, com focas, golfinhos e espetacular pôr-do-sol.
As festividades foram realizadas até por volta da meia-noite, com muita alegria e alguns tragos, mas ninguém havia bebido demais, apenas o normal. Na manhã seguinte, tudo estava em seu curso até que a maré virou para o pior. O curso começou forte e os três mergulhadores mal preparados foram arrastados perigosamente em um bolsão de águas profundas. Dois corpos foram recuperados; um nunca foi encontrado.
O veredicto final: US$ 75.000 de multa cobrada sobre o centro de mergulho por não ter feito um alerta severo sobre os perigos de beber e mergulhar.

 

 “A natureza imprevisível do mergulho é onde reside o risco real”, diz o mergulhador e médico MD, Ph.D Fred Bove. “Incapacidade mental tem sido demonstrada com muito pouco álcool concentrado no sangue, cerca de 0,01 – que é menos do que um drinque comum; certamente, alguns que bebem pesado na noite anterior ainda têm álcool em seus sistemas na manhã seguinte, mas com certeza você não vai sentir-se prejudicado ou nem ao menos perceber isso”. A questão é que seu organismo não será testado na superfície, quando o mar estiver calmo e as condições ideais. “Ele será realmente testado quando você estiver em uma situação de risco lá embaixo, é ai que as coisas podem tornar-se criticas.” É por isso, diz o Dr. Bove, que 40 por cento dos acidentes fatais estão relacionados com o álcool. É também por isso que as entidades estão apertando o cerco e executando operações para uma política que diz: “Sua primeira bebida pode coincidir com o seu último mergulho.”

 

No entanto, existem ainda muitos “DiveBars” no melhor estilo mergulhadores que insistem em uma cerveja antes, durante e após os seus mergulhos. Veja que eles estão arriscando-se a cada mergulho. E o problema não é somente esse, além de arriscarem-se, arriscam as pessoas que estão mergulhando com eles, pois com certeza alguém vai querer ajudá-los em um momento crítico.

A responsabilidade.

Cientificamente, o maior risco de problema no mergulho é a deterioração do funcionamento do córtex (ACC), o centro de seu cérebro que normalmente detecta quando você fez um erro. Este erro de vigilância mental também conhecido como o “erro de resposta oops” faz com que seu sistema pare de funcionar corretamente após uma ou duas bebidas (cerca de 0,04 por cento de álcool), um nível que surpreendeu até mesmo os funcionários de investigação, diz o pesquisador da Universidade de Amesterdam  Richard Ridderinkhof, Ph.D. “Você simplesmente deixou de perceber que havia cometido um erro. Além do mais, uma vez que você tenha feito algo errado, um cérebro funcionando normalmente irá reconhecer o problema e irá ajustar o erro para que você não o faça novamente. Este pós-ajustamento do erro praticamente desapareceu após ingestão de álcool, mesmo em quantidades moderadas”, diz o Dr. Ridderinkhof. Então, se você desviou-se do seu plano de mergulho, seu cérebro não irá levantar uma bandeira vermelha, marcando assim sua visita à câmara hiperbárica ou pior.
O álcool impede quase todos os reflexos e reações que você precisa para mergulhar com segurança. Mesmo antes de a Heineken desencadear seu efeito em seu cérebro, você já estará com reflexos e reações mais lentas (opa, não irá significar que você bateu em um coral), monitoramento visual mais pobre (Aonde mesmo marquei como referência?), Redução da atenção (onde foi o barco?), e terá menos capacidade de coordenar várias tarefas (uh, inflar BC, regulador claro, verifique computador, oh, a minha cabeça… Droga, estou perdido).
Dada a confusão em seu cérebro, não é surpreendente que as pesquisas mostram que as pessoas que estão bebendo têm uma taxa de 55 por cento de prejuízo contra apenas 24 por cento dos “non-drinkers”. As conseqüências de uma noite na fanfarronice são igualmente preocupantes. As pesquisas mostram que se reduz para 11% a habilidade atlética do “suicida”.

“As pessoas cometem o erro de pensar que mergulho não é um esporte”, diz a mergulhadora Mary Ann Everhart-McDonald, MD “Mas quando você considera a energia que leva a nadar contra a corrente e realizar pesados movimentos para subir escadas, é um grande esforço e de muita intensidade tanto quanto qualquer esporte. Estar embriagado ou ter ingerido bebida reduz sua capacidade de exercício, colocando você e todos os mergulhadores em sua volta em risco. “

Quem bebe sabe que com certeza irá passar boa parte do tempo no banheiro. O álcool é um diurético. Para nós mergulhadores isso terá um outro significado, desidratação. “Desidratação não só torna mais rápido sua fadiga, mas também diminui a quantidade de sangue disponível para trocas gasosas e deixa a remoção de nitrogênio mais lenta em seu organismo, colocando você em um risco acrescido de doença descompressiva”, afirma o Dr. Everhart-McDonald. (Para entender melhor esta afirmação, leia o post anterior deste blog que trata sobre desidratação) O álcool também é um depressor do sistema nervoso central, de modo que você vai estar menos sensível a possíveis dores de uma pancada na escada ou até mesmo menos sensível aos sintomas da doença descompressiva como dores nas articulações, náuseas, fadiga, dor de cabeça e confusão.

“A desidratação, fadiga e falta de julgamento faz com que tudo no mergulho se torne tão perigoso como se você estivesse embriagado debaixo de água ou mesmo dirigindo o seu carro”, diz o Dr. Everhart-McDonald.

 

Coquetel perfeito para problemas. 
Você pode ter uma porção de problemas que nunca imaginou embaixo da água somente por ter bebido ou abusado da bebida em seus dias de mergulho, veja abaixo algumas considerações perigosas da mistura ÁLCOOL E MERGULHO.

 Doenças cardíacas.
O álcool aumenta o risco de isquemia miocárdica, uma condição em que o fluxo sanguíneo para o coração é restrito parando assim sua alimentação de oxigênio e nutrientes vitais. Quando o fluxo sanguíneo é completamente bloqueado, a isquemia pode se tornar um ataque cardíaco sem nenhum sinal de advertência. “Na água e mergulhando faz com que o coração comece a trabalhar mais”, diz o Dr. Bove. “Se você também tem colesterol elevado ou hipertensão ligeira – e vai enfrentá-lo como muitos mergulhadores fazem – você pode facilmente colocar-se em risco de um ataque cardíaco, principalmente se beber também durante a seus mergulhos.” Além do mais, a investigação mostra que basta estar com pouco álcool no sangue para elevar o seu risco de morte cardíaca.

Hipotermia.
O álcool desempenha truques engraçados na sua mente. Além de permitir que você pense ser o Pelé, bebida também faz você pensar que está mais quente do que você esta na realidade. “Beber faz seu cérebro pensar que você está sobre aquecido (agora sei da onde vinha aquela idéia de que bêbado não sente frio), de modo que dilata os vasos sanguíneos na sua pele, causando-lhe a perda uma grande quantidade de calor”, diz o Dr. Bove. “Tudo bem se você estiver pendurado para fora do bar e de cuecas com seus amigos rindo de você, mas não é se você estiver mergulhando a 30 minutos na água de 17 graus.” Agora você está em risco não só para a Hipotermia – perigosamente reduzindo a temperatura corporal – mas você é também estará aumentando um risco problemas  de DD, uma vez que hipotermia diminui o fluxo sanguíneo para o suas extremidades, retardando a remoção de nitrogênio do seu corpo.

Hipoglicemia.
O seu fígado libera menos glicose quando você bebe, aumentando o risco de hipoglicemia, ou baixo teor de açúcar no sangue, fazendo você sentir-se fraco, sonolento, confuso, tonturas e fome – um monte de sintomas que podem colocar em perigo o melhor mergulhador. “Claramente, a melhor regra a seguir é um princípio da tolerância zero”, diz o Dr. Bove. “Não deve haver álcool no dia que você for mergulhar. E se você foi à noite anterior para a gandaia, despertar e não sentir-se 100%, esqueça o mergulho. O oceano estará sempre lá. Mergulhar com esses riscos não vale apena”

 

Uma receita para festas.
Você sabe os perigos do mergulho sob a influência do álcool, mas este é o seu período de férias. Então veja como tudo deve funcionar quando rolar álcool neste período.


Dormir cedo.

Se você tem um mergulho às 8 horas da matina, você deve ir dormir antes da meia noite para descansar o necessário para o seu corpo. Caso você não consiga, pule o mergulho da manhã e faça-o a tarde.


Mix de bebidas.

Limite as suas bebidas na noite anterior para apenas dois ou três copos ou drinks. E entre eles, beba um copo de água ou suco natural, principalmente se você passar o número de 2 ou 3 copos, mas nunca permita-se ficar bêbado ou levemente alterado, se ficar, pule o mergulho do dia seguinte.


Desidratação.

Beba bastante água ou bebidas desportivas (somente gatorade) na manhã de seu mergulho para garantir que você está bem hidratado. 

Algo para comer.
Não beba ou mergulhe com o estômago vazio. Tenha um bom jantar antes de sua festa para abrandar o fluxo de álcool em seu sistema e tenha um pequeno-almoço saudável, para que você tenha abundância de energia para os próximos dias.

 

Siga essas regras e o resultado será sempre muita alegria, risadas e diversão.
Bons mergulhos a todos.
Fonte: DAN, médicos e instituições relacionadas no artigo.

 

 

 

 

 

Anúncios

Desidratação…Cuidados

Sol quente. Mar perfeito. Brisa no rosto. Pode haver um mar azul a sua frente por toda parte, porém, se você não se cuidar, pode dizer adeus a tudo isso assim que chegar ao seu ponto de mergulho. Todas as maravilhas de mergulho tropical podem deixar você tão seco como uma fatia de carne de sol…no sol. 

Desidratação durante o mergulho não é apenas desagradável, pode ser perigoso. “Para cada quilo de suor” que você perde, a sua freqüência cardíaca aumenta cerca de oito batimentos por minuto, o seu débito cardíaco ou o quanto o seu coração bomba de sangue para o corpo, cai um litro por minuto, o seu corpo pode perder calor rapidamente durante este estado, “Diz Molly Kimball, nutricionista desportivo da Ochsner Clinic’s Elmwood Fitness Center, em Nova Orleans”. Menos volume sanguíneo equivale a menos do fluxo sanguíneo para os músculos e tecidos. Você não só se cansa mais rapidamente, mas você elimina nitrogênio mais lentamente, aumentando seu risco para a doença descompressiva. Desidratação também faz você ficar atordoado ou bobo, diz Bob Moon, um biólogo de Denver que pesquisa os efeitos da desidratação em militares dos EUA. “Tenho visto navegadores profissionais perderem a capacidade de executar as competências básicas com cinco a seis por cento de desidratação, e depois vai embora a capacidade mental e motora, vem o pânico”, diz ele. Aumentando assim a possibilidade de erro, narcose ou qualquer outro tipo de problema possível durante o mergulho. 

Água, para todos.
Durante o mergulho, fluidos fogem do seu corpo de quase todas as maneiras imagináveis. Para começar, sem a umidade do ar em seu cilindro para proteger o seu equipamento de corrosão, a cada vez que você inalar o ar árido do seu regulador, você perde o dobro de umidade a partir de sua garganta e os pulmões para fazer com que o ar chegue úmido e normal para o seu consumo.

Quando você mergulha cria uma situação denominada imersão diurese – também conhecido como o desejo de urinar. Imersão, especialmente na água que é mais fria do que o ar, provoca estreitamento dos vasos sanguíneos nos seus braços e pernas, enviando mais sangue de volta para o núcleo do seu corpo. Seu corpo registra toda esta corrida de sangue para o órgão central como uma sobrecarga de fluidos, de modo que os rins aumentam sua produção de urina em seu corpo.

Por último, o esforço do mergulho nos seca. Locomover-se debaixo da água, raciocinar, tirar fotos, ou apenas ficar observando cansa o nosso corpo como não imaginamos, fora isso, ainda nadamos contra correntes, passamos tardes quentes de sol e tudo isso e muitos outros fatores combinados faz o corpo perder muita água.

Hidratando nossa máquina antes do mergulho.
A maneira mais óbvia de permanecer bem-hidratado é bebendo água muitas vezes ao dia. Alguns mergulhadores intencionalmente evitam beber liquido demais com medo de ter de urinar nos seus trajes de mergulho. Mas cuidado, você pode estar criando um quadro de desidratação. “Considere beber pelo menos metade do seu peso corporal por dia algo em média de oito copos por dia para uma mulher e 10 para um homem de pesos considerados normais, tudo isso Nos dias que antecedem o seu mergulho “, diz Kimball, que recomenda inclusive bebidas desportivas para substituir os minerais e outros nutrientes que perdemos no mergulho. De preferência ao Gatorade e não para bebidas como redbull entre outros, pois contém cafeína o que desidrata o corpo.

 

Pegue leve no álcool>
O álcool é um diurético que suprime a liberação de um hormônio que ajuda o seu organismo reter fluidos. Apesar de beber pouco na noite anterior é legal você ter precauções e tomar um copo de água junto com cada bebida alcoólica, e melhor ainda se o bar fechar para você depois de duas bebidas.

 

Cuidado com a cafeína>
Cafeína não é o demônio diurético muito como é acusado de ser, mas, pelo incentiva a perda de fluidos pelo corpo, portanto, seria inteligente demais não beber. Apenas um copo pela manhã.

 

Mantenha sua temperatura estável>
Fica frio ou quente demais faz com que o seu corpo trabalhe mais para manter sua temperatura normal e com isso você além de se cansar mais, perde mais líquido, use um capuz quando a água estiver muito fria. A bordo do barco, mantenha-se aquecido e confortável.

 

Diga Sim aos carboidratos>
Mandar aquele bife com ovos na manhã do seu mergulho não é bacana se você faz musculação, esqueçam tomar o Whein Protein, proteínas são alimentos que exigem mais energia e água para digerir. Carboidratos, como pães, cereais e grãos, são digestivos e utilizam menos energia ajudando a manter os fluidos corporais em dia.

 

Vá pela sombra>
Não é nenhum segredo que o sol suga umidade. Proteja-se contra os efeitos do sol e vento, prefira ficar na sombra, quando possível, e usando filtro solar, roupas soltas e quem sabe um vasto chapéu de Mexicano na cuca.

 

Escolha frutas suculentas>
Quando abastecer antes de um mergulho, inclua lotes de alimentos com muita água como laranjas, melões e outras frutas tropicais.

 

Cuidado com o vomitão>
Uma seqüência de galopes do barco e você enjoado pode deixar suas águas em níveis perigosamente baixos e/ou se você estiver em condições tropicais extremas, certifique-se de substituir os seus minerais perdidos e essenciais que o seu organismo necessita para funcionar corretamente. “Uma bebida esportiva como Gatorade é uma boa maneira de substituir sódio e outros minerais”, diz Kimball. “Ou se não tiver gatorade, diluir sumo da fruta pode ajudar também”.

Fonte: Médicos citados na matéria e pesquisas da DAN.